As posições para Exames e Procedimentos em Enfermagem são bastante variadas. E muitas vezes, ficamos em dúvidas com relação ao correto posicionamento do paciente para realizar determinado procedimento ou exame.

Atualmente é imprescindível que o profissional conheça todas as possibilidades de posicionar o paciente, seja para facilitar o acesso a determinado órgão ou região, seja para proporcionar ao paciente a melhorar de algum quadro clínico.

posição-do-paciente

É indispensável que o posicionamento do paciente seja realizado de modo correto, pois uma posição errada pode prejudicar a intervenção, além de poder causar desconforto para o paciente.

Para isso, descrevemos em detalhes todas as posições possíveis e também quais os procedimentos de enfermagem mais adequados para cada uma.

Ao todo, existem 12 posições indicadas para cirurgias, procedimentos de enfermagem e exames com fins diagnósticos ou terapêuticos. Algumas delas apresentam dois ou mais nomenclaturas, a depender do autor. Elas são:

  1. Posição Ortostática (ereta ou em pé).
  2. Posição Sentada.
  3. Decúbito Dorsal ou Posição Supina.
  4. Decúbito Ventral ou Posição Prona.
  5. Decúbito Lateral Esquerdo ou Direito.
  6. Posição de Sims.
  7. Posição de Fowler 45º e Semi-Fowler 60º.
  8. Ginecológica.
  9. Litotômica.
  10. Genupeitoral.
  11. Tredelenbug e Tredelenburg Invertida ou Reversa.
  12. Kraske ou Jackknife ou Canivete.

Vamos conhecer em detalhes cada posição para exames e procedimentos de enfermagem.

Posição Ortostática (ereta ou em pé)

Trata-se de posicionar o paciente em pé. Essa posição facilita a visualização ampla do estado geral anatômico do paciente.

posições-ortostáticas
Posição Ortostática.

Como proceder: Solicite ao paciente para que se levante e permaneça em pé, mantendo a coluna ereta, ombros retos e alinhados, membros inferiores juntos e membros superiores relaxados juntos ao corpo. Você também poderá solicitar que o paciente dê alguns passos para frente, para poder avaliar a marcha do paciente.

Indicação: Essa posição é muito utilizada quando o enfermeiro busca identificar anomalias anatômicas na formação da cabeça, pescoço, tórax, abdome, membros superiores e inferiores. Isso pode ser feito durante o exame físico do paciente, principalmente por meio da inspeção e palpação.

Com o paciente nessa posição, você conseguirá identificar visualmente a presença de: hérnias no abdome, problemas na formação óssea e possíveis fraturas, doenças de pele, edemas, lesões, etc.

Também é muito útil para identificar problemas na marcha e distúrbios no equilíbrio. Esses problemas podem estar relacionados a questões neurológicas e ortopédicas graves e precisam de atenção do profissional.

Cuidados de Enfermagem: caso o paciente não consiga manter a posição ereta, por problemas de equilíbrio, solicite que ele sente. Em pacientes que apresentem dificuldades em ficar em pé, forneça suporte por meio de bengalas, muletas, ou apoiadores fixos nas paredes.

Também é importante ficar próximo do paciente, para transmitir segurança e apoio para que ele fique em pé. Isso é bastante importante, principalmente em pacientes que são idosos e possuem dificuldade na marcha.

Posição Sentada

É quando o paciente está sentado sobre uma superfície rígida, que pode ser uma cadeira (comum ou de rodas) ou também na beira do leito.

posições-do-paciente-posição-sentada
Paciente na posição sentada.

Essa posição permite que o tórax, abdome, cabeça e pescoço do paciente estejam em posição ereta, formando um ângulo de 90º com relação aos membros inferiores.

O paciente deverá ficar com a coluna ereta, com os membros superiores estendidos e relaxados. Os membros inferiores deverão estar flexionados, na altura dos joelhos em ângulo de 90º.

Como proceder: caso o paciente esteja deitado e possuir dificuldade em se levantar, posicione-se ao lado do paciente munido de travesseiros ou suportes para a coluna. Você deverá, delicadamente, solicitar ao paciente que se incline para frente para poder inserir o travesseiro.

Em leitos que são automáticos, esse posicionamento é feito por um conjunto de pequenos motores acionados por um painel eletrônico.

Indicação: essa posição é ideal para o exame físico da cabeça, pescoço, tórax, membros superiores e abdome.

Também é bastante utilizada para administração de medicamentos orais, sublinguais e intramusculares na região do deltoide. Ela possibilita observar a expansibilidade da caixa torácica e permite identificar os movimentos de deglutição e movimentos respiratórios, possibilitando identificar facilmente pacientes com esforço respiratório.

Decúbito Dorsal ou Posição Supina

Significa deixar o paciente com o dorso (parte frontal) do abdome para cima. Os membros superiores devem estar abertos ou podem estar cruzados sobre o tórax. Os membros inferiores devem estar juntos em paralelo e estendidos sobre o leito.

posições-decúbito-dorsal
Posição de decúbito dorsal.

Não se recomenda que o paciente fique nessa posição sem o auxílio de coxins ou travesseiros, uma vez que ela pode ser desconfortável para a maioria dos pacientes.

Como proceder: em leitos automáticos, programe para posição supina ou decúbito dorsal. Em leitos que não são automáticos, rebaixe os encostos do tórax e dos joelhos.

Utilize coxins ou travesseiros sob a cabeça, sob os joelhos e sob os punhos e tornozelos (essa medida ajudará a evitar o excesso de pressão sobre essas áreas e propiciará melhor conforto ao paciente). 

Indicação: esse posicionamento é bastante indicado para cirurgias do abdome e tórax, pois possibilita fácil acesso aos órgãos dessas regiões. Além disso, permite o relaxamento da musculatura abdominal, facilitando a palpação durante o exame físico.

Decúbito Ventral ou Posição Prona

A posição prona consiste em manter o paciente com o abdômen para baixo, em contato com a superfície do leito.

posições-decúbito-ventral
Decúbito ventral.

Para aliviar o desconforto dessa posição, os membros superiores podem estar levemente abertos, enquanto que nos membros inferiores pode-se utilizar almofadas ou coxins para apoio às regiões das tíbias e diminuir a pressão sobre os pés do paciente.

Como proceder: para pacientes acamados e com mobilidade reduzida, realize movimentos lentos e delicados, com o auxílio de passadeiras. De preferência, realize essa movimentação com dois ou mais profissionais, por questões ergonômicas.

Primeiramente, posicione o paciente para o decúbito lateral, em seguida para a posição prona. A cabeça do paciente pode estar posicionada para um dos lados do paciente ou virada para baixo, com uso de suporte específico e conforme a tolerância do paciente.

Indicação: essa posição é utilizada para procedimentos na coluna vertebral e nas partes posteriores dos membros. Também é utilizada para combater a hipoxemia, em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo.

Posições de Decúbito Lateral Esquerdo ou Direito

O decúbito lateral, consiste em posicionar o paciente lateralmente no leito, sendo que os maiores pontos de pressão serão a escápula e o quadril.

posições-decubitos-laterais
Decúbito lateral.

Nessa posição, a cabeça deve estar confortavelmente apoiada em travesseiro e alinhada com os ombros.

Como Proceder: com o paciente deitado inicialmente em posição supina, vire-o lentamente para o lado desejado, com o auxílio de passadeiras se necessário.

Posicione os travesseiros sob a cabeça, e abaixo do membro inferior, para melhor conforto. Também pode ser colocado um travesseiro na região do abdômen e tórax, para ajudar o tronco a manter estabilidade.

Indicação: a posição de decúbito lateral é indicada para facilitar o trabalho dos pulmões, melhorando a perfusão e diminuindo o esforço respiratório. Também pode ser utilizada para exames cardíacos, como o ecocardiograma.

Posição de Sims

A posição de Sims é bastante semelhante com o decúbito lateral. Ela consiste em posicionar o paciente lateralmente no leito, com um dos membros inferiores flexionados. Veja abaixo:

posições-de-sims
Posição de Sims.

Como Proceder: Posicione o paciente lateralmente. A cabeça deverá ser apoiada com a ajuda de travesseiro. Utilize outro travesseiro para apoiar um dos membros superiores, que deverá estar flexionado.

Essa posição facilita a visualização da região anal, o que permite a realização de diversos procedimentos de enfermagem.

Indicação: Essa posição é comumente utilizada para realização de exames retais, cirurgias, lavagem intestinal ou inserção de clister para remoção de fecalomas.

Posições de Fowler 60º e Semi-Fowler 45º

A posição de Fowler consiste em posicionar o paciente de modo semi sentado no leito.

É uma das posições mais confortáveis para o paciente, pois há redistribuição do peso corporal, além de ser uma posição que facilita a respiração e alimentação.

A diferença entre as posições de Fowler a 45º ou a 60º consiste em elevar ou não os membros inferiores. Confira nas imagens abaixo:

posições-de-fowler-45-graus
Fowler em 45º.
posições-de-fowler-60-graus
Fowler em 60º.

Curiosidade: O nome Fowler provém do sobrenome do criador dessa posição, o cirurgião Dr. George R. Fowler (1848-1906).

Como proceder: eleve a cabeceira do leito ao ângulo de 45º, ou use travesseiros e coxins para isso. Em seguida, posicione os membros inferiores sob travesseiro ou mantidos abertos sob um ângulo maior (60º).

Os membros inferiores também podem estar estendidos em sobre o leito. Essa última posição pode gerar uma pressão maior sobre o quadril.

Indicação: essa posição permite o relaxamento dos músculos abdominais, o que permite que sejam realizadas drenagens abdominais. Também é utilizada para exames e cirurgias na cabeça, pescoço e tórax.

Ginecológica

Essa posição consiste em posicionar o paciente de modo a possibilitar o fácil acesso a região pélvica.

Posição-ginecológica
Posição ginecológica.

Dica: para manter a privacidade do paciente, é aconselhável cobrir a região pélvica com lençol, até a realização do exame ou procedimento.

Como proceder: A paciente ficará deitada em decúbito dorsal ou ventral, com a cabeça apoiada ou não sob travesseiros ou coxins. As pernas deverão estar flexionadas em ângulo e apoiada em perneiras acolchoadas.

Os membros inferiores também podem estar apoiados diretamente sob o leito. Já os membros superiores podem estar estendidos ao longo do corpo ou cruzados sobre o abdômen.

Ao retirar o paciente dessa posição, deve-se retirar um membro inferior por vez, pois a descida brusca pode causar aumento do fluxo sanguíneo para as pernas e diminuição da pressão arterial. A queda momentânea da pressão arterial pode causar desconforto e vertigens no paciente.

Indicação: Esse posicionamento é indicado para exames vaginais, como o exame colpocitológico, e uretrais, além de ser uma posição que favorece o parto natural.

Litotômica

Essa posição difere da ginecológica somente em relação ao ângulo de disposição dos membros inferiores. Seu objetivo é facilitar o acesso à região pélvica e anal.

posição-litotômica
Posição Litotômica.

Apesar da posição anatômica lembrar bastante a posição ginecológica, lembre-se que a maioria dos autores da enfermagem consideram que são posições com propósitos terapêuticos diferentes.

Como proceder: com o paciente em decúbito dorsal ou ventral, posicione os membros inferiores elevados e afastados. O ponto de suporte é entre as panturrilhas e a face posterior dos joelhos. Para facilitar o acesso à região anal, solicita-se ao paciente que mantenha os glúteos abaixo do suporte costal.

Indicação: esse posicionamento é indicado para cirurgias e procedimento do reto, vagina e ânus. A perineoplastia pode ser realizada nessa posição.

Genupeitoral

A posição genupeitoral também chamada de genu-peitoral, se caracteriza possibilitar maior visualização da região anal e coccígea do paciente. Isso ocorre porque os únicos pontos de apoio ao leito são os joelhos e a parte do superior do peitoral, veja na imagem abaixo:

posição-genupeitoral
Posição Genupeitoral.

No entanto, é uma posição considerava desconfortável para a maioria dos pacientes, e geralmente não é recomendada para pacientes idosos.

Recomenda-se a sua utilização apenas em procedimentos muito específicos, como em cirurgias ou procedimentos anais.

Como proceder: como o próprio nome da posição nos indica, devemos manter o paciente com o tórax apoiado sob o leito. A cabeça deve estar lateralizada e apoiada sob os braços ou travesseiro. Os membros inferiores devem estar flexionados corretamente, sendo que os joelhos devem estar em contato direto com o leito.

Devido ao desconforto, não se deve manter o paciente por muito tempo nessa posição.

Indicação: Pode ser utilizada para exame físico do reto, cólon, vagina e saco escrotal.

Posições de Trendelenburg e Trendelenburg Invertida ou Reversa

A posição de Trendelenburg é uma versão adaptada do decúbito dorsal ou posição supina, com o acréscimo dê um ângulo de 15º a 30 º graus de elevação/inclinação. As diferenças entre as posições de Trendelenburg são:

Trendelenburg: elevação a partir dos pés a 15º ou 30º graus. Confira abaixo:

posições-de-trendelenburg
Posição de Trendelenburg.

Trendelenburg Invertida ou Reversa: elevação a partir da cabeça no ângulo de 15º ou 30º graus. Veja:

posições-de-trendelenburg-reversa
Posição de Trendelenburg Reversa ou Invertida.

Como proceder: os leitos automáticos já vêm configurados para posicionar o paciente com a angulação indicada. Para a posição de Trendelenburg, deve-se tomar as devidas precauções para evitar que o paciente desça pelo leito, para isso, é necessário realizar fixações ao longo dos membros inferiores e região abdominal.

Curiosidade: Esse posicionamento recebeu essa nomenclatura devido ao cirurgião que a criou, Friedrich Trendelenburg (1844-1924).

Para a posição de Trendelenburg Invertida, também são necessárias a utilização de fixadores e faixas com o objetivo de evitar que o paciente flexione os joelhos, o que poderia provocar lesões ou queda do leito.

As indicações das posições de Trendelenburg variam conforme o ângulo adotado:

Trendelenburg: nessa posição as alças intestinais são empurradas, devido à força da gravidade, para a porção superior do abdômen, o que possibilita a intervenção cirúrgica na pélvis, e em outros órgãos da porção inferior do abdômen.

Trendelenburg Invertida: pode ser utilizada para facilitar os movimentos respiratórios dos pacientes. Também pode ser usada para facilitar a saída do paciente do leito, com o devido suporte e auxílio da equipe de enfermagem.

Como nessa posição, as alças intestinais se concentram na porção inferior do abdômen, ela pode ser utilizada para intervenções cirúrgicas ou procedimentos na porção superior do abdômen.

Kraske ou Jackknife ou Canivete

Essa posição recebe diferentes nomes a depender da literatura. O termo Jackknife é uma palavra inglesa que significa “canivete”. Isso porque o paciente assume uma posição num ângulo que lembra a abertura de um canivete.

posições-de-kraske
Posição de Kraske ou Canivete.

Na posição canivete, pode-se colocar o paciente em duas posições distintas. Ele pode ficar lateralizado, como na primeira imagem ou em decúbito ventral, como na segunda imagem.

A escolha entre as posições apresentadas dependerá do objetivo do procedimento.

Como Proceder: Caso o leito seja automático, mantenha-o aberto em posição inicial e coloque o paciente lateralmente. Em seguida, incline em 15 graus a parte do leito responsável pelo apoio do tórax e em 30 graus, a parte do leito que dá suporte aos membros inferiores.

Indicação: A posição canivete lateralizada é comumente utilizada para cirurgias e procedimentos nos rins, quadris ou coluna.

A posição de canivete dorsal é utilizada para procedimentos na região anal.

Posições de Exames e Procedimentos: Finalizando…

Nós apresentamos todas as possíveis posições para exames e procedimentos, incluindo algumas de suas variações.

Geralmente, as posições variam no grau de angulação dos membros. Assim, conforme o ângulo, recebem nomenclaturas diferentes.

Ficou com alguma dúvida sobre as posições? Conta pra gente nos comentários!

Juarez Coimbra

É enfermeiro, doutorando em Enfermagem pela Universidade Federal de Mato Grosso. É Especialista em Saúde Pública e um Apaixonado por Blogs, escreveu o seu primeiro na área de enfermagem ainda em 2014.

Deixe uma resposta